25 visitantes on-line ( Entrar na Sala de Bate-Papo )São Paulo, 20 de novembro de 2017

Hoje somos 143
portadores de RTS
galeria de fotos
Uma imagem vale mais que mil palavras.
Conheça um pouco mais sobre nós !
Depoimentos
Leia os depoimentos que os pais fizeram sobre seus filhos.
Com certeza você vai se identificar com um deles !
Lista de Discussão
Entre para nossa lista de discussão por e-mail e troque idéias e informações com outros pais e profissionais da arts
Dê uma mãozinha
Veja quem já nos deu uma mãozinha.
Faça parte do grupo de amigos da arts
Estatísticas sobre RTS
Acompanhe as estatísticas sobre RTS
Pesquisar no site
Digite as palavras-chave de busca, separadas por vírgula
Clique aquí para busca detalhada
 
 
ARTS
Rua Harmonia 722/81
CEP 05435-000
São Paulo-SP
Brasil
 
(55) (11) 4153-3211
(55) (11) 5631-5062
(55) (11) 3819-2536
 
arts@artsbrasil.org.br
 
A Escola X O Deficiente
 
O pré-conceito e não preconceito sofrido pelas crianças que apresentam
alguma disfunção genética, física ou mental, ainda é grande em nosso meio social, apesar de estarmos próximos da virada do século.

A discriminação é imposta por uma sociedade que não respeita tais diferenças e se omite diante das flagrantes desigualdades sociais, sem sequer refletir sobre os direitos e capacidades desses indivíduos.

Essa cultura perpassa até mesmo as escolas que apresentam dificuldades em aceitarem tais crianças - (mesmo no maternal) - que poderiam se beneficiar mais rapidamente no nível físico, psíquico, de fala e social. No entanto, alegam vários motivos: falta de vaga, desconhecimento, falta de professor especializado, etc.

A discussão sobre a inclusão faz com que muitos profissionais pensem nessas crianças; porém, para que esse movimento ganhe corpo na sociedade, é imprescindível a participação de cada cidadão , pois a mudança depende de cada um de nós.

O que muita gente não sabe, é que para trabalhar com essas crianças é necessário ter boa vontade, experiência, conhecimento pedagógico, e conhecimento do desenvolvimento motor e psíquico, que são requisitos básicos para qualquer trabalho infantil.

Geralmente, as crianças estão sob acompanhamento de uma equipe multidisciplinar desde o nascimento e poderiam auxiliar e orientar os profissionais da educação mostrando como é possível desenvolver tais trabalhos.

Vemos todos os anos a luta de mães por uma vaga para seus filhos que apresentam possibilidades de desenvolvimento, porém as portas se fecham por simples pré-conceito.

No entanto, poucas são as escolas ou as diretorias que embarcam nessa preciosa experiência e não se arrependem, percebendo o desenvolvimento, evolução e satisfação das crianças.


Maisa Isabel D Elia
Terapeuta Ocupacional e Psicanalista
 
Voltar

página inicialdestaquesorganizações & linksarts responde
bate papolista de e-mailsterapiasartigos & matériasdê uma mãozinha
depoimentosarts na mídiagaleria de fotosestatísticaslivro de visitas
pesquisar no siteexamesfale conosco